No século VIII, um padre em Lanciano, Italia, estava sendo tentado a ter dúvidas a sobre a presença real de Jesus na Eucaristia. No meio de uma missa, enquanto dizia as palavras da consagração (Este é o meu corpo e este é o meu sangue), viu o pão se transformar em carne humana e o sangue se coagulou em cinco glóbulos (acredita-se que por causa das cinco chagas de Cristo). A notícia do milagre se estendeu rapidamente, o arcebispo do local iniciou uma investigação, e a Igreja aprovou.

A carne está conservada até os dias de hoje. O exame das relíquias, segundo critérios rigorosamente científicos, foi efetuado em 1970-71 e outra vez em 1981 pelo Professor Odoardo Linoli, catedrático de Anatomia e Histologia Patológica e Química e Microscopia Clínica, Coadjuvado pelo Professor Ruggero Bertelli, da Universidade de Siena. Resultados:

1) A hóstia é realmente constituída por fibras musculares estriadas, pertencentes ao miocárdio.

2) Quanto ao sangue, trata-se de genuíno sangue humano. Mais: o sangue contido na carne e o sangue do cálice revelam tratar-se sempre do mesmo sangue grupo ‘AB’ (sangue comum aos Judeus). Este é também o grupo que o professor Pierluigi Baima Bollone, da universidade de Turim, identificou no Santo Sudário.

3) Apesar da sua antigüidade, a carne e o sangue se apresentam com uma estrutura de base intacta e sem sinais de alterações substanciais; este fenômeno se dá sem que tenham sido utilizadas substâncias ou outros fatores aptos a conservar a matéria humana, mas, ao contrário, apesar da ação dos mais variados agentes físicos, atmosféricos, ambientais e biológicos.

É possível visitar a carne e o sangue milagroso na Igreja de São Francisco de Lanciano, na Itália.

E dia 30 deste mês nós temos mais uma oportunidade de adorarmos o Senhor unidos como Movimento 👣❤️

2019-09-27T11:59:20-03:00